domingo, 16 de dezembro de 2012

O Hobbit – Uma jornada inesperada

 

O Hobbit filmeComo eu havia antecipado na resenha do livro, eu, amante que sou de Tolkien, estava louquinha pra ver O Hobbit. E, mais uma vez, Peter Jackson não decepciona, e entrega um filme simplesmente fantástico. Vou tentar o melhora pra tentar transmitir em algumas palavras o que é esse filme.

O filme começa com Bilbo já velhinho, começando a escrever seu livro, para contar a Frodo suas aventuras. Estamos no dia de seu 111º aniversário, e os preparativos para a festa muito antecipada estão à toda. E aqui vemos uma ótima participação de Elijah Wood mais uma vez como Frodo. Adorei esta parte. Ficou linda, e gostei como liga as duas trilogias.

Também gostei que aqui, Bilbo faz um flashback, contando a história da queda dos anões para Smaug. Isto não está no livro, e achei muito bem colocado porque explica algumas coisas. E antes que fãs xiitas saiam xingando as alterações, vamos relembrar que se trata de uma adaptação, não cópia fiel, e Peter Jackson tirou material também de outras fontes para fazer os filmes, como os apêndices de OSDA, e provavelmente de outros manuscritos deixados por Tolkien. Dito isto, eu digo que muita coisa que não está no livro aparece no filme, mas eu particularmente, achei que o resultado foi sensacional, e só fez acrescentar ao resultado final.

Bilbo   anõesVoltando ao filme. Frodo sai para esperar por Gandalf, e o filme regressa 60 anos para o início da jornada de Bilbo. Ele está sentado calmamente curtindo seu cachimbo quando chega Gandalf à procura de alguém para participar de uma aventura. Bilbo, hobbit direito que é, claro que recusa. Mas Gandalf sabe do potencial que este pequeno hobbit pode ter, e por isso o marca de qualquer jeito. E eis que no dia seguinte, do nada, começam a aparecer alguns convidados (cof, cof) na porta de Bilbo e logo sua aconchegante toca (e se eu não falei antes, falo agora: eu queria morar nessa toca. Que coisa mais fofa!) fica cheia de anões barulhentos e bagunceiros.

Depois de momentos de pânico do pobre hobbit, é hora de sentar e discutir os planos. E é neste momento que Bilbo descobre que os anões querem retomar seu lar, e que ele inadvertidamente está escalado como ladrão. E tenho que dizer, ele lendo o contrato é sensacional.

I´m going to have an adventure

E começa a aventura em si. Bilbo inicialmente um fardo, e enfrentando a desconfiança de Thorin, tem que mostrar que faz parte da companhia dos anões. E também tem que superar suas próprias dúvidas. Mas, como Gandal diz: “Hobbits são criaturas incríveis. Pode-se aprender tudo sobre eles em um mês, mas mesmo depois de 100 anos eles ainda surpreedem”. Não tenha dúvidas. Eu pensei nessa frase em determinado momento do filme. E quase chorei nessa hora.

Visualmente, o filme é deslumbrante. Tanto nos cenários naturais da belíssima Nova Zelândia (nota mental: preciso ir pra Terra-Média) como nos cenários criados por computador. Lindos e realistas. Valfenda está ainda mais bela, o Condado ainda mais encantador e, para quem assistiu OSDA, preste atenção que alguns cenários muito familiares reaparecem neste filme. A tecnologia inovadora usada por Peter Jackson (o filme foi filmado em uma velocidade alta, agora não lembro exatamente como) dá ao filme uma definição de imagem absurda, uma nitidez comparável ao blu ray, e eu nem fui ver em 3D, ou na sala XD do Cinemark. ATUALIZAÇÃO! o filme foi rodado em 48 fps (frames per second, ou quadros por segundo). Isso é mais do que o olho humano consegue diferenciar.

GollumO elenco é outra joia do filme. Martin Freeman, que faz Bilbo, brilha. Simplesmente perfeito no papel. Ian McKellen dispensa comentários, e Richard Armitage como Thorin também está fantástico. E Gollum volta como o melhor personagem CGI do universo. Continua sensacional, e o jogo de adivinhas entre ele e Bilbo é uma das melhores cenas do filme. Destaco ainda a cena em que Bilbo, com o anel e pronto para matar Gollum, com a espada na garganta dele, é linda. E explica outra frase de Gandalf: “Foi a pena que parou a espada de Bilbo.”. E foi mesmo. Gollum faz cara de Gato de Botas e juro que fiquei com pena dele também. E neste se repete uma das cenas mais absolutamente perfeitas de OSDA: o debate de Gollum com ele mesmo. E novamente a cena é desconcertante de tão bem feita. Andy Serkis, que dá vida a Gollum, é perfeito.

Trolls

Eu poderia destacar mais muitas outras, como o encontro com os trolls, o debate entre Galadriel (Cate Blanchett mais uma vez maravilhosa no papel), Elrond (de novo Hugo Weaving, e um pouco menos chato que em OSDA) e Saruman (Christopher Lee, de novo arrepiando cm sua voz profunda e assustadora), mas daí contaria o filme todo aqui.

Gandalf   Galadriel   Saruman   Elrond

Vale também destacar a trilha sonora, muitas das músicas lindíssimas de Howard Shore reaproveitadas, mas de cara nova, de OSDA, e a música que toca nos créditos finas, Song of the Lonely Mountain, interpretada por Neil Finn é linda, confira no link. E falando em música, neste há bastante cantoria, um exemplo: Misty Mountains, por Richard Armitage e os anões (e que vozeirão ele tem, hem? Além de ser lindo, veja aqui, ótimo ator ainda canta…be still my heart!). E não posso deixar de mencionar a delicinha Aidan Turner como Kili. Eu mencionei que Kili é arqueiro?

Peter Jackson mescla muito bem humor e ação, o que é esperado, que este tem em dose muito maior que OSDA, o que faz sentido já que O Hobbit é bem menos sombrio que OSDA e quando a gente vê, as três horas de filme já passaram e a gente nem sentiu. Assim, não me resta mais nada a não ser postar o trailer pra deixar aquele gostinho de quero ver:

Beijos e até o próximo post!

9 comentários:

Nadia V. disse...

Oi, Fê. Quero assistir agoraaa!!! Mal posso esperar!
Seu post me deixou com mais vontade! Já amei OSDA, tenho certeza que vou amar esse também! :)

Beijos.

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Vai sim, Nádia!

É lindo!!!! perfeito!!!!!! Eu vou assistir de novo, com certeza!

Beijos!



Tyele disse...

Disse tudo! Realmente a parte em que o Gollum fica debatendo consigo mesmo ficou incrível.. faz um tempo que li o livro e estou pensando em relê-lo pois me deu uma saudade!!
Bjos

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Tyele!

Essa foi uma das melhores cenas do filme. Mas o filme todo é lindo, né?

Beijos!

Fefa Rodrigues disse...

Feeee... concordo com vc ´filme é deslumbrante... espetacular!!! Fiequei apaixonada, e quero ir ver mais uma vez pelo menos (desde que consiga tempo!!)... a cena que eu mais gostei foi do Bilbo com o Gollum e o "jogo de charadas", nossa me dá arrepio... se tem um personagem que me da arrepios sempre é o Golum com aquele problema de "dupla personalidade" dele, pq ao mesmo tempo q a gente tem pena, ele se torna assustador... olha, vou dizer que acho que, por ser um livro menor, essa adaptação ficou ainda melhor do que O Senhor dos Anéis... perfeito!!!

Gabi Lopes disse...

Fernanda, realmente que filme maravilhoso,

Peter Jackson é um mago quando se trata de Tolkien..rs

A cena do Gollum com o Bilbo são realmente perfeitas, as feições e expressões são inacreditáveis..

Eu adorei

Muito boa a dica para os feriados..rs

Abraços
Gabi Lopes
sonhosaventuras.blogspot.com

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Gabi!

Concordo, em se tratando de Terra Média, não tem pra ninguém, Peter Jackson é o cara. Ele entende muito da obra de Tolkien, e quem reclama das alterações, por favor, vai ler um livro. Nenhuma delas é à toa, todas muito bem pensadas.

Beijos!



PS; quando recebi o seu comentário, eu estava na fila para ver de novo ;D

Luana disse...

Oi Fe! Voltei nesse post so pra falar que eu FINALMENTE vi o filme e que eu amei, amei, amei! ate me emcionei! foi maravilhoso!
so nao gostei muito daquela parte em que Thorin abraca o Bilbo depois dele te-lo salvo do Orc branco... Emocional demais para Thorin.
nao vejo a hora de vir o proximo filme!

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Pois é, o duro agora é esperar até o final do ano pelo próximo!

Eu também me emocionei muito, quase chorei mais de uma vez, lindo demais. Simplesmente perfeito.

Beijos, Lu!