domingo, 15 de janeiro de 2012

A chave do Juízo Final – Força Sigma 5 – James Rollins

 

Doomsday key Na Universidade de Princeton, um famosos geneticista morre dentro de um laboratório de risco biológico. Em Roma, um arqueólogo do Vaticano é encontrado morto na Basílica de São Pedro. Na África, o filho de um senador americano é assassinado próximo a um acampamento da Cruz Vermelha.

Três vítimas de homicídio em três continentes, ligados pelo símbolo pagão da cruz druídica queimado em sua pele.

O Comandante Grayson Pierce e a Força Sigma tem apenas dias para decifrar um quebra-cabeça apocalíptico que tem origem séculos atrás. Ajudado por duas mulheres de seu passado – uma sua ex-namorada, a outra sua nova parceira – Gray deve descobrir um segredo arrepiante que ameaça a América e o restante do mundo, mesmo que isso signifique sacrificar a vida de uma das mulheres a seu lado. A corrida já começou – do Coliseu em Roma até os picos gelados da Noruega até as tumbas perdidas dos reis Celtas – e o futuro está em jogo. Pois o pior pesadelo da humanidade está trancado dentro de um talismã enterrado por um santo – um antigo artefato conhecido como… A Chave do Juízo Final.

ATENÇÃO! SPOILERS SE VOCÊ NÃO LEU O RESTANTE DA SÉRIE FORÇA SIGMA!

E provavelmente não leu mesmo, a não ser que como eu, tenha dado a sorte de encontrar os livros e ler em inglês. E, bem legal da Ediouro, responsável pela publicação dos livros em português, que nem se digna a responder os fãs da série. Veja aqui quanta gente tem perguntado quando vai ser lançado O último oráculo, o quarto da série (tecnicamente é o quinto, porque tem um que vem antes de O mapa dos ossos). Acho que vou seguir o conselho da minha amiga Mari (outra fã ardorosa da série), e vou escrever para a editora e me candidatar a traduzir ;D. E só para relembrar, os outros dois que existem em português são A ordem negra e A nova traição de Judas, na ordem.

Este se passa mais ou menos um ano depois dos acontecimentos de O último oráculo. Monk já está em casa  e sua memória está quase normal. Kowalski está com a tal professora que se encantou por ele no anterior e Gray continua curtindo uma dor de cotovelo…Até que a dor liga do nada. Bom, não do nada. Rachel procura Gray depois que seu tio sofre um atentado dentro da Basílica de São Pedro, onde seu colega, o arqueólogo Padre Giovanni, é morto.

Enquanto isso, na África, um acampamento da Cruz Vermelha sofre um ataque brutal, e o filho de um senador americano é assassinado. E depois seu professor em Princeton também é morto em seu laboratório. E os três crimes estão ligados por uma estranha marca queimada na testa das vítimas. E isso já coloca a Força Sigma em alerta. E a partir daí, uma eletrizante aventura começa, cheia de mistérios e reviravoltas.

Gray nem pensa quando recebe o telefonema de Rachel.  Depois de falar rapidinho com Painter, pega o primeiro vôo para Roma atrás da bela italiana. Ao chegar, ele já tem uma surpresa quando ela não o recebe no aeroporto, como combinado. Ele então começa a ficar preocupado e depois de algumas tentativas, finalmente a encontra no hotel. E ela não está sozinha. Para surpresa de Gray, a ex-namorada-quase-esposa está acompanhada de ninguém menos que Seichan, a sensual agente da Guilda, por quem Gray sente uma certa atração. Daí ele só tem uma certeza: isso não pode ser bom. E, para piorar as coisas, ele começa a ter uma recaída por Rachel, coisa que ele achava que já tinha acabado faz tempo. Mas, como sempre, há uma conspiração que ameaça a humanidade, ele coloca isso de lado até que tudo esteja resolvido. Não sem antes debater que é impossível voltar atrás. O que é bom é que ele não gasta páginas e mais páginas se lamuriando, até porque sendo Gray, as encrencas tendem a encontrá-lo onde estiver. E o que começa com uma ameaça logo se transforma em um perigoso jogo de vida ou morte. Mas ainda há salvação para Gray. Neste ele até consegue fazer umas piadinhas. Nem tudo está perdido.

Seichan, depois de ter declarado a Gray que era na verdade uma agente dupla, agora tem a missão de se infiltrar de novo na Guilda e ganhar a confiança dos caras. Ela também se encontra em conflito com ela mesma, tentando esconder o que sente por Gray e o ciúme de vê-lo com Rachel. Sempre durona, ela não demonstra nada, só se permite parecer frágil quando está sozinha, e ela se detesta por isso. Ao mesmo tempo, ela não perde o foco da missão, e apesar do que disse a Gray no final do anterior, não dá para saber de fato para quem ela trabalha. Ela continua sendo a melhor personagem da série, enigmática, fria e calculista.

Completando o grupo de Gray está o Comando em Ação Kowalski, como sempre engraçado, e aqui mostrando um lado novo e meio perturbador. Principalmente para um cara saradão, fortão como ele. Mas também mostra porque, apesar de parecer um completo idiota, está na Força Sigma.

Monk desta vez não acompanha Gray. Ele fica restrito a um trabalho mais seguro perto de casa, para seu desgosto. Mas, claro, sendo Monk, nem precisa de Gray por perto para os problemas o encontrarem. E assim, ele logo se encontra numa situação difícil. Ele já está mais ele mesmo, seu humor já está voltando ao normal e ele já se lembra mais de Kat. Até bem demais, mas não vou estragar a surpresa para quem ainda não leu.

Monk neste acompanha o Diretor Crowe num interrogatório na Noruega, depois de investigar o professor assassinado em Princeton. E é justamente na Noruega que ironicamente as coisas ficam bem quentes. Crowe continua o mesmo, prático e focado. Mas quando as coisas complicam ele mostra porque é o diretor.

Do outro lado, além de Seichan, está uma oponente à altura dela. O nome dela é Krista Magnussen, e a tal acho que é ainda pior que Seichan. Mais fria, mais dissimulada e mais ambiciosa. Mas ela está sob as ordens de um tal de Echelon, possivelmente o chefão da Guilda, um cara misterioso, que só aparece como voz no telefone.

Pegando carona na paranóia criada pela polêmica com a produção de alimentos geneticamente modificados, e envolvendo religião na medida certa, o livro leva gente por uma viagem louca pela Noruega, Itália, França, e Inglaterra, num ritmo de tirar o fôlego. Desta vez, o mistério religioso escolhido foi São Malaquias e um tal de livro, o Domesday Book, que continha marcações misteriosas, segundo o livro (este, de James Rollins) indicavam localidades que foram completamente destruídas, o que dá o tom de apocalipse para esta aventura. Ainda, o autor mexa com a cultura celta e menciona os famosos círculos de pedra (um dia ainda vou conhecer Stonehenge!). Parece forçado (e até é mesmo, no sentido Missão: Impossível), mas a mistura dá resultado, e o livro é delicioso, dá pra ler bem rápido, e os eventos são bem encadeados uns nos outros, deixando a gente sempre com mais vontade de ler. Agora é torcer para a Ediouro lançar o restante da série.

Trilha sonora

Para começar, uma das minhas bandas preferidas,  diretamente de Noruega, uma das minhas bandas preferidas, com uma das minhas músicas preferidas também, The living daylights, do A-ha (trilha de um 007, sei lá eu qual). Também para embalar as peripécias de Ethan Hunt (ops! Gray Pierce), Mission: Impossilble theme, do U2 (tá, eu sei que são só o Adam Clayton e o Larry Mullen Jr, mas isso já é 50% da banda, e depois eles abriram o show de 1998 com essa). Ainda de M:I, I disappear, do Metallica (meninas, forçadíssimo essa cena do penhasco, mas Tom Cruise não está demais?) e Take a look around, do Limp Bizkit (eu acho esse clipe muito legal). E ainda com o Limp Bizkit, Behind blue eyes (eu particularmente prefiro essa versão. A original é do The Who). Para terminar, Extreme ways, do Moby (a única que eu gosto dele) e Echelon, do 30 seconds to Mars.

Curiosidade

São Malaquias realmente fez previsões incrivelmente precisas sobre os papas, chegando até o último, Petrus Romanus, passando por Bento XVI (o penúltimo – ui!) e João Paulo II. E o tal Domesday Book também realmente existe, mas não encontrei nenhuma referência aos locais dizimados. (Fontes: São Malaquias e Domesday Book – Wikipedia).

Se você gostou de The Doomsday Key, pode gostar também de:

  • trilogia Força Sigma – James Rollins;
  • O Código Da Vinci – Dan Brown;
  • Anjos e Demônios – Dan Brown;
  • O símbolo perdido – Dan Brown;
  • coleção Bourne – Robert Ludlum;
  • trilogia Millenium – Stieg Larsson

Filme

Há um projeto, como eu já disse na resenha de O mapa dos ossos, para transformar a Força Sigma em filme. Segundo o IMDB - Sigma Force, só para o ano  que vem e é isso que eu tenho acesso. Aí no debate há algumas sugestões para o elenco. Aqui vão os meus pitacos:

Comandante Gray Pierce – Wentworth Miller (o Michael Scofield de Prison Break) Ele tem que malhar um pouquinho, mas com esse olhão azul, é perfeito. Seria a minha primeira escolha.

Wentworth miller

Ou também Chris Evans, mas como ele está em Quarteto Fantástico (ai, essa tatto…)

chris evans

Como Monk, acho que a melhor opção é Sam Worthington, de Fúria de Titãs. Ele não é baixinho como Monk, mas para os padrões de Hollywood, com seus 1,78, é mais que indicado:

sam worthington 

Como Kowalski, pode ser Kevin Durand (de X-men: origens Wolwerine)

kevin durand

Ou Jason Momoa, o Khal Drogo de Game of Thrones

jason momoa

Como Diretor Crowe, gostei da sugestão de Benjamin Bratt, de Miss Simpatia (ele só vai precisar de lentes azuis)

benjamin bratt

E como Seichan, a melhor candidata é Maggie Q (de Missão: Impossível II)

maggie q

Mais sugestões? Ah! Mas segundo o forum do IMDB, o filme vai ser uma história nova, independente dos livros. Ainda assim, tomara que com o filme, a Ediouro resolva lançar o restante da série em português.

9 comentários:

Luana disse...

Sempre com livros interessantíssimos que eu quero muito ler mas não vou ter tempo, neh? =)
Eu gosto dessas historias com grupos secretos e teorias apocalípticas, só não gosto quando o povo começa a achar que eh tudo verdade....

"Behind blue eyes (eu particularmente prefiro essa versão. A original é do The Who)" - ai eu tenho vontade de chorar!! hahahaha... COMO ASSIM??? Nao, nao, naaaaaaao! Begind Blue Eyes so com o Who, so! So eles sabem passar a dor das letras e o que ela realmente representa... PERIOD! hahaha

beijao, Fe!

Gabi Castro disse...

Oi Fê!!! O comentário não tem nada a ver com a postagem, mas eu queria só fazer uma perguntinha... Vc se importa se eu fizer um banner do seu blog para colocar no meu? Eu usaria a imagem do seu cabeçalho... E só postaria se vc autorizasse, claro!

O que acha?

Beijos!

Gabi

Nana disse...

Um livro que tem um personagem que lembra o Momoa? MERECE TER FILME! hahahaha
Ah sabe que não conhecia essa série? Achei bem interessante e realmente me lembrou O Código DaVinci.

Menina, não sei o que o blogger tem de preconceito com os comentários lá do Obsession. Porque já reclamaram antes que ele não queria enviar comentários

beijos
Nana - Obsession Valley

Gabi Castro disse...

Oi Fê, voltei! Bem, para colocar banner é só entrar no meu blog, abrir o "parceria", escolher um dos banners, depois copiar o HTML, voltar no seu blog, vai em design, clica para adicionar HTML, cola o cógico que você copiou (dá uma visualiazada) e pronto! Está pronto!

Depois eu vou fazer o seu banner para colocar no meu blog.

Obrigada e beijos!

Gabi

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Nana! Oi Gabi!

Nana, lê que você vai gostar. Eu particularmente prefiro essa série a Código Da Vinci (que eu gosto também) e as sequencias dele. É mais movimentade e Gray é mais herói de ação (como eu disse Comando em Ação mesmo) do que o Prof. Lagdon. E Jason Momoa é perfeito para o papel de Kowalski, que é mais músculo que cérebro ;D


Gabi, eu vou te linkar sim, sem problema. Obrigada pelas duicas!

Beijos!

Fefa Rodrigues disse...

Ai ai... tenho ema QUEDA pelo Khal Drogo.... :o)

Araujo disse...

Fernanda, tudo bom? Você sabe onde posso conseguir esses livros em português aqui no Brasil? Já li o mapa dos ossos, ordem negra e a nova traição de judas, mas não consigo achar os outros em nenhum lugar! Procurei no mercado livre pra ver se encontrava eles usados, mas não achei nada! Valeu!

P.S: muito bom o seu blog.

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Araújo!

Obrigada pleo comentário e seja bem vindo!

Olha, eu não sei se tem disponível em português, talvez você consiga baixar alguma versão. Mas, pelo lonk da editora que eu pus, naõ tem nada, eles nem respondem as perguntas... Eles não foram publicados em português ainda. Se souber de alguma coisa, eu falo.

Beijos!

Joana Nícoas Kyriakou disse...

Já li 7 livros da série. Me faltam O Último Oráculo e A Chave Maldita. Será que alguém gostaria de me vender estes dois livro que estejam em português (de Portugal) ou Espanhol (Eu pago bem) Estou disposta a pagar US$ 35,00 em cada mesmo sendo usado).
Meu nome é Joana Nícolas Kyriakou e meu e-mail é o joana@jnkrepresentacoes.com.br