terça-feira, 11 de setembro de 2012

Abraham Lincoln – Caçador de vampiros – Seth Grahame-Smith

 

AL Vampire hunterIndiana, 1818. A luz da lua cai através das florestas densas que cercam a cabana de apenas um quarto onde um Abraham Lincoln com apenas 9 anos se ajoelha ao lado do leito de morte de sua mãe. Só mais tarde o entristecido Abe descobriria que o ferimento fatal de sua mãe era, na verdade, culpa de um vampiro. Com o dom de suas legendária altura, força e habilidade com um machado, Abe sai em um caminho de vingança que irá levá-lo até a Casa Branca.

 

Confesso que estava meio como pé atrás para ler este livro. Só quis ler mais próximo do filme. Não sei explicar porque estava relutante em ler, afinal tem vampiros (que eu amo) e também história. Talvez por se tratar de história americana, que não é lá a minha preferida. Mas fui surpreendida por um livro delicioso, que mistura muito bem fato e fantasia.

O livro começa com um depoimento do próprio autor, contando porque resolveu escrever (foi a pedido de um vampiro de identidade desconhecida). O relato desse encontro é bem envolvente e já desperta a curiosidade.

O livro é dividido em três partes: Menino, Caçador e Presidente. E começa com o nascimento de Abe, e passa por sua infância, a morte da mãe e a relação difícil com o pai. Diferente do filme, a gente acompanha Abe por toda a adolescência, e a vida adulta, até seu assassinato no teatro.

Abe cresce movido pelo desejo de vingança contra o assassino da mãe. E esse fato é que vai definir sua vida toda. Ele culpa o pai dele pela morte da mãe, e o livro retrata bem essa relação como pai. Abe é determinado e quando começa algo, vai até o fim. Também é extremamente emocional, ainda que nem sempre demonstre. A passagem da morte de seu primeiro filho mostra isso (na verdade, ele teve 4, dos quais só um sobreviveu até a idade adulta), mas outras também evidenciam esse lado de Abe.

Henry é um dos poucos personagens do filme que estão também no livro. E também, como no filme, é ele quem salva a vida de Abe naquela primeira tentativa de matar um vampiro. E ensina tudo o que sabe (que é considerável) ao jovem Abe. Henry é misterioso, quase não fala de si mesmo e é movido pelo mesmo desprezo em relação aos vampiros que Abe. Mas não posso falar mais que isso, para não estragar. Adoro Henry, só isso.

Mary, sua mulher, também está no livro, claro, mas ela nunca soube dos vampiros ou o que seu marido fazia na calada da noite. E sofria de depressão (iniciada com a morte do primeiro filho) possivelmente esquizofrenia e enxaquecas.

Contado em formato mais jornalístico, mais próximo à biografia, o livro tem um linguagem um pouco diferente. Entremeados entre os relatos do autor, há trechos do suposto diário de Abe. E o relato do começo, o encontro do autor com o tal vampiro (que se o livro tem uma falha é não revelar quem ele é. Gosto de pensar que era Henry) e fotos da época acrescentam em veracidade. Mas a leitura é fácil (eu li em pouco mais de 3 dias, isso porque enrolei um pouco), e mistura ironia (por exemplo o fato de o Abe Honesto manter segredos da mulher) e humor. A ação fica mais em segundo plano. E por isso, eu digo que se o livro fosse adaptado fielmente para o cinema, o filme não seria tão legal.

Curiosidade

Apesar de fantasiar, o livro também traz fatos reais, como a luta de Abe pela abolição da escravatura e toda sua vida política, sua mãe morreu mesmo quando ele era menino, mas não por causa de um vampiro. E a Guerra Civil Americana foi o maior embate da América, o Sul escravagista contra o Norte industrializado. E hoje o mundo seria muito diferente se o Sul tivesse ganhado, com certeza. Para saber mais: Abraham Lincoln e Guerra Civil Americana.

Trilha sonora

Só tem uma: Sympathy for the devil, com o Guns.

Se você gostou de Abraham Lincoln – caçador de vampiros, pode gostar também de:

  • As Crônicas Vampirescas – Anne Rice;
  • Vampire Academy – Richelle Mead;
  • os de vampiros do André Vianco;

6 comentários:

Paula disse...

kkkk sim sim... eu li aqui... eu sempre leio suas resenhas e respeito muito sua opinião... :D
estou com esse livro aqui e infelizmente vi o filme primeiro... mas ja me disseram q o livro é melhor... tomara :D
bjus

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Paula!

É tão diferente que nem sei dizer qual é melhor. Eu gostei muito dos dois.

Beijos!

navirj disse...

Se a lista não estivesse tão grande eu leria. Mas tem tantos livros que eu quero ler...quem sabe ano que vem. Pela sua resenha parece ser muito interessante e divertido. :)
Beijo, Ná

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Nádia!

É legal sim. Pra quem gosta de história, é legal porque conta bem a vida dele e esse período da história americana.

Beijos!


navirj disse...

Fê, que maravilha essa novidade do Bernard Cornwell! PRECISO ler rsrs.
Tomara que não demore a chegar no Brasil. Ai que ansiedade.

Beijo

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Nádia!

Concordo! Tomara que chegue logo!

Beijos!