terça-feira, 10 de abril de 2012

Foo Fighters – 07 de abril de 2012

 

Repito o começo do post sobre o show do Pearl Jam: finalmente, depois de meses de espera (eu comprei o ingresso no fim do ano passado, em dezembro eu acho), chegou o dia. Ansiedade já estava nas alturas, não via a hora. E como eu prometi, vim contar tudo.

ingresso

Eles vieram, pra quem não sabe, como uma das atrações (na verdade o carro-chefe) do Festival Lollapalooza, que aconteceu neste fim de semana no Jockey Club de São Paulo. Entre as atrações, estavam Cage the Elephant, Band of Horses, TV on the radio, Joan Jett, entre outros no primeiro dia (sábado) e Artic Monkeys e Jane’s Addiction no domingo. Eu só fui mesmo no primeiro porque o que me interessava era mesmo só o Foo Fighters. Mas eu fui mais cedo, com minha irmã e minha amiga Paula, e vi alguns dos shows.

lolla

Chegamos lá pelas 2 da tarde, mas demoramos uma eternidade para entrar. Não havia muita informação. Quer dizer, os portões estavam bem sinalizados, mas ninguém sabia informar quanto a que fila pegar, e onde ela começava. Até aí, tudo bem, sempre acontece algo assim, e o show ainda estava a umas 6 horas de distância, então, eu não tinha pressa nenhuma.

Logo que entramos, fomos para o palco Butantã, onde estava rolando o show do Cage the Elephant. O som deles até que é legalzinho, mas o que mais chamou a atenção foi mesmo a doideira do vocalista, dando mergulho na galera e nada de voltar pro palco. O show terminou por WO, já que o cara só conseguiu mesmo voltar depois do fim da música.

Daí, pausa para comprar os pillapalooza, o dinheiro que valia lá dentro. E devo acrescentar que tudo era muito caro, mas nenhuma surpresa aí. Um copo de água saía por R$4,00! Mas, fazer o quê? Não encontrei copo de água pra comprar e levar (podia entrar copo, mas não garrafinha). E os lanches eram HotPocket, pelo preço exorbitante de R$8,00. E a fila que não andava nunca…

eu no lolla

Finalmente, depois de quase uma hora, com água e tudo o mais, encontramos um lugarzinho para sentar e descansar um pouquinho, esperando o show do Band of Horses, que seria no palco Butantã também. Gostei do som deles, mas infelizmente não pudemos assistir tudo, porque logo em seguida seria o show do TV on the radio, no palco Cidade Jardim (o mesmo do Foo Fighters), e a gente foi buscar lugar pra lá. Mas aí vai uma amostrinha: The Funeral.

Andamos um pouco, pegamos glowsticks e fomos aguardar o show do TV on the radio, outra banda que eu curti, o vocalista ;e bem simpático e eles tem um som bem bacana. Novamente não pudemos fiar até o fim, porque tivemos que fazer outra pausa para o banheiro, para não ter que perder nada do show do Foo Fighters e depois mais um pausa para descanso e lanchinho. Involuntariamente ouvimos o show do Pavilhão 9, porque a lanchonete era do lado do palco alternativo (hein?), onde os caras estavam tocando.

glowstick

Finalmente encontramos um lugarzinho e nos instalamos, esperando o show começar.

E até que enfim, tocam os primeiros acordes de All my life, e o Jockey vem abaixo. Logo em seguida, emendada vem Times like these (Fefa, lembrei de você!). Na verdade, veio uma sequência longa de músicas: Rope (de Wasting Light), The pretender (outra que arrasou), My hero (de novo, mais uma arrasa-quarteirão) e Learn to fly. Aqui, pela primeira vez, Dave fala com o público, cumprimenta, etc, e Dave pergunta quanto tempo a gente quer de show e quantas músicas queríamos, como se não houvesse tempo determinado ou setlist predeterminado. E a gente finge que acredita. Mas até que ele cumpriu a promessa.

dave

A seguir vem White Limo, que vocês devem lembrar daqui que é a única que eu não curo muito do CD Wasting Light, mas até que ao vivo ficou legal. E depois, para meu absoluto deleite, Arlandria (minha preferida do CD), que eu gritei o máximo que pude. A seguir, Breakout, mais uma vez a galera foi à loucura. Pausinha, Dave assume a bateria, para alegria geral da nação, e Taylor vem para a frente para cantar Cold day in the sun. Depois Long road to ruin, Big me (que eles não tocaram na Argentina) e Stacked actors. E chega a vez da minha segunda preferida de Wasting Light: Walk seguida por Generator. E mais uma que abalou as estruturas: Monkey wrench.

dave bandeira Depois dessa, veio a sequência: Hey, Johnny Park!, This is a call, In the flesh ? (cover do Pink Floyd) e fechando o primeiro round muitíssimo bem, a melhor música deles na minha humilde opinião: Best of you. E nisso já se foram quase 2 horas de show e nem percebi.

Depois do break, começa com Enough space, depois For all the cows e Dear Rosemary. Pausa para mais um discurso de Dave, rasgando seda para Perry, Jane’s Addiction e tal, mas tudo para dizer que vinha aí Joan Jett para uma parceria (que já ocorreu no Chile) com Bad Reputation e I love rock’n’roll. Isso já anunciava o finzinho do show, o que se confirmou com os primeiros acordes de Everlong, que foi como eles encerraram na Argentina e no Chile, com chave de ouro.

No total, foram 2 horas e meia de show, contando com o break e algumas enroladinhas de Dave Grohl e cia, tanto para compensar a falta de voz de Dave (que na verdade não afetou o show, acho que era mais para poupar mesmo) e os solos longos também eram um pouco para se mostrar, vamos falar a verdade. Mas valeu, as duas horas voaram, e Everlong chegou cedo demais. Agora fica a promessa de Dave de voltar logo (vamos cobrar!).

O show foi muito bom, adorei, sé teve um problema: eu não consegui ver quase nada, a não ser vez por outra o telão. Mas isso não é culpa deles, nem da organização, mas da genética, que me deu meros 1,58m. Mas dava pra escutar bem, apesar da falta de voz de Dave (ele já estava assim desde o show na Argentina) e de o som não ser muito legal. Isso porque como foi festival, com vários palcos, ao mesmo tempo que rolava o show do Foo Fighters, tinha coisa rolando na tenda de música eletrônica, então, para não ter muita interferência, o som era meio baixo. E essa interferência atrapalhou bastante no show do Band of Horses, que era do lado da tenda. Ponto negativo para a organização, porque o Jockey não é grande o suficiente para tantos palcos. Que fosse festival, beleza, mas sem tantos palcos (eram 3 no total, mais a tenda). Mas valeu, curti bastante o show e espero que eles retornem, como Dave prometeu. Mas dessa vez sozinhos, e de preferência no Morumbi, para eu poder ir na arquibancada.

Olha ai a setlist. As músicas estão linkadas no YouTube, assim você tem uma ideia do que foi o show:

All my life
Times like these
Rope
The pretender
My hero
Learn to fly
White limo
Arlandria
Breakout
Cold day in the sun
Long road to ruin
Big me
Stacked actors
Walk
Generator
Monkey wrench
Hey, Johnny Park + This is a call
In the flesh?
Best of you
Enough space
For all the cows + Dear Rosemary
Bad reputation + I love rock'n'roll
Everlong

Beijos e até o próximo post!

10 comentários:

Wander disse...

Que legal Fernanda! A sensação de está em um show de uma banda favorita é ímpar. Foo Fighters não esta na minha lista de shows que "eu morreria pra assistir antes de morrer" (rs), mas os caras mandam muito bem! O Dave Grohl é muito (sic) foda!!!

Mas se eu morasse em Sampa, iria ao show so pra ouvir Walk, que apesar de ser uma musica recente, eu ja considero a melhor da carreira deles. E que alias, tem um dos videoclipes mais legais tbm. E dificil o dia que eu nao ouco essa musica.

Beijos.

Fefa Rodrigues disse...

FEEEEEEEEEEEE que inveja!!

E obrigado por ter se lembrado de mim na minha música preferida!!! Gostaria de estar lá tbm!!

Será que com os 10 centimetros que eu tenho mais que vc eu conseguiria ver alguma coisa??? heheheh


Viu, não me lembro se ja vi por aqui alguma resenha, mas vc já leu A Irmandade da Adaga Negra???

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Wander!

Foi muito legal mesmo. Não tem nada melhor que estar lá, mesmo que você não consiga ver nada (meu caso ;D). A energia que rola, outvir tudo no máximo, ver o seu ídolo ali, em carne e osso...Nào tem nada igual. Eu adoro ir em shows, acho que é o melhor programa que se pode fazer: você vai à vontade e curte com a galera. E sempre se diverte, faça chuva ou faça sol.

Walk é uma das minhas favoritas também, mas eu acho que a melhor deles é Best of you. E os clipes deles são sempre muito bacanas mesmo. Sempre rolo de rir com Learn to fly ;D

Beijos!

Wander disse...

Sim! Ir a shows realmente eh um dos programas mais divertidos. Mas minha cidade pouco oferece (Vitória ES), o máximo que aparece por aqui são bandas de axé e duplas sertanejas. Mas no verão vem otimas bandas em Guarapari, e tem o Festival de Alegre em Junho. Mesmo assim, so bandas nacionais rs.

Meu sonho mesmo é ir no show do Coldplay, minha banda favorita! Queen, nem dá pra sonhar sem o Freddy Mercury. Se bem que adorei o Adam Lambert assumindo os vocais em uma performance com a banda no Europe Music Awards.

Como ligo MTV o dia todo, vejo muitos clipes do Foo Fighters. Eles mandam muito bem. Eles tem clipes hilarios. Adoro muito!!! Só achei meio chato o Dave se recusar a falar com a imprensa.

Beijos.

Paula disse...

Sempre quis ir a um festival desses... espero q um dia ainda realize...

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Wander!Oi Paula!

Olha, tinha muita gente de fora de SP no show, mas eu entendo vocês. É chato mesmo esse negócio de os shows serem longe. Lembro que fiquei assim quando Robbie Williams, que eu amo, veio pro Brasil, mas só fez show no Rio e eu não pude ir. Mas a cada ano, vem mais e mais gente pra cá, então quem sabe um dia eles resolvam fazer uma turnê maior por aqui?


E Wander, minha irmã me disse que o Foo Fighters fez showem Vitória nessa turnê. Não foi? Quando ela me falou eu achei superlegal, porque saía do eixo RIo -SP - Curitiba - Porto Alegre - BH.

Beijos!

CMachado disse...

Fê,
comentei em outro post,nem reparei.
Faço uma confusão, meu apelido é avuadinha rsrs (não gosto muito não).

Daí esqueci de dizer, meu comentário não é sobre o show...
Estou aguardando sua resenha do Arqueiro.
Agora que conheci B Cournwell, preciso ler pelo menos uns 3 dele, logo rsrs.
Bjk

Wander disse...

Ola Fernanda, acho que sua irmã se confudiu. Infelizmente eu nada soube da passagem do Foo Fighters por aqui ou pelas redondezas. Seria bom demais pra ser verdade. Ou entao talvez Vitoria apareceu em alguma lista fake de tour que caiu na net, acontece direto. Ou pior ainda, talvez ele vieram e eu realmente nunca soube. Se for isso, me da licença que eu estou indo me jogar do ultimo andar do meu predio.

Nossa, legal você gostar do Robbie. Ele ja chegou a ser meu cantor preferido. Rs.

Beijos.

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Wander!

Eu também nao soube de nada não, só estou passando a informação que eu tive.

Eu adoro Robbie Williams! Ele é um dos meus cantores preferidos! Estou até pensando em fazer um post sobre ele.

Beijos e bom finzinho de domingo!

Fefa Rodrigues disse...

Fê, sobre o Jaqen, como eu ainda não comecei a ver a série, procurei uma imagem dele no google... bem... ele é diferente do que eu pensava, pq, pra mim, apesar dele ser um fora-da-lei a caminha de vestir o negro, ele não devia ter aquela cara de mal, de louco... pra mim ele era um dasqueles "bandidos" mais galantes (nossa que palavra do vocabulário da minha vovozinha)... mas sei lá... sabe aqueles mals que são bons na verdade? Agora, não sei se essa impressão foi por culpa da imagem, ou se a interpretação dele tbm é neste sentido... terei que conferir na TV hehehe... o Davi ta baixando os episódios rpa mim e vou esperar ter mais pra assistir... dai falo mais sobre o assunto hehehe