domingo, 10 de março de 2013

A dama do falcão – Marion Zimmer Bradley

 

HawkmistressNo tempo dos Cem Reinos, quando uma sangrenta guerra civil assolava Darkover, uma jovem saiu de casa sozinha, rompendo com a família e renunciando a sua herança, porque desejava ser ela própria, e não o que o pai ou um marido determinassem.
Esta é a história aqui contada, a história de Romilly MacAran, que possuía um laran sem treinamento, uma capacidade mental que lhe permitia entrar em contato mental com falcões, cavalos e outros animais, dominando-os pelo amor.
Esta é a história de sua luta para se afirmar como pessoa, não ser apenas uma mulher eternamente dominada pelos homens, para encontrar seu lugar no mundo, para encontrar o verdadeiro amor, só possível numa base de igualdade.
É também a história de Rakhal e Carolin, o rei usurpador e o rei exilado, empenhados ambos na eterna luta do bem e do mal, da ânsia pelo poder contra o amor legítimo pelo povo.
É ainda a história de Caryl, um menino que se negava a assumir a crueldade do pai; de Ruyven e Darren. irmãos de Romilly. em permanente conflito com o próprio pai, por se recusarem a ser o que ele desejava; e de Orain, um homem que não podia fugir à sua natureza!
É uma fantasia romântica, uma história de aventuras vertiginosas, uma fascinante ficção, mas também uma projeção da luta de todas as mulheres para poderem se afirmar como pessoas e conquistarem sua independência, que perdura até hoje…

Outra promessa que eu fiz a mim mesma foi que eu releria pelo menos um livro da Marion por ano, em especial da série Darkover. A série se inicia com A queda em Darkover, mas para quem não conhece, eu recomendo começar por Rainha da Tempestade, que se localiza na Era do Caos, que ainda compreende a trilogia The clingfire (eu só li os dois primeiros desses, The fall of Neskaya e Zandru´s forge. Falta ler A flame in Hali, mas não acho em lugar nenhum. Acabei de baixar, mas se encontrar, vou comprar. Como eu disse aqui, se eu gosto – e acredite, eu gosto muito da série Darkover – eu vou querer o original, em papel.), Thunderlord (ainda não publicado) e finalmente este.

Este está no fim da Era do Caos, é uma tempo de transição entre este período da história darkovana e Os Cem Reinos. Ainda há guerra, como diz na sinopse, e o fofo aderente e outras armas químicas ainda são usadas indiscriminadamente. Ele acontece, se não estou enganada, mais ou menos simultaneamente a Rainha da Tempestade, ou pouco depois. Se não me falha a memória, há menção de Carolin em Rainha da Tempestade. Mas a história é independente. Não vou entrar em detalhes sobre a série, já fiz isso. Se você quiser saber mais, leia a resenha de Rainha da Tempestade, onde eu explico mais ou menos o que é Darkover ( o link está acima).

Bom, deixa de enrolação e vamos à resenha deste. Romilly vive com sua família no Ninho dos Falcões, nos contrafortes das Hellers, as frias montanhas de Darkover. Ela faz o que mais gosta, treina os falcões de seu pai, seus cavalos e cães. Ela tem laran, e seu dom é mais ou menos como o dos Stark, das Crônicas do Gelo e do Fogo. Em especial, Bran. Romilly consegue se ligar aos animais, como um warg. E seu dom é poderoso, e comum em sua família. Só que ela não tem o treinamento de uma torre, o que pode representar um perigo para ela e para os outros a seu redor. Só que o pai não acredita nas torres, com razão, depois de seu filho mais velho, Ruyven, fugir para Neskaya (ou Tramontana? Agora não lembro.) Romilly já está com quase quinze anos, e por isso na idade de casar. E quando seu pai a dá em casamento para Dom Garris, e ameaça tirar seu falcão, Preciosa, com quem Romilly forjou um laço afetivo profundo, ela foge de casa com Preciosa.

Romilly é forte e independente, tem ideias próprias e, apesar do nome do livro, não tem nada de dama. A última coisa que ela quer é ficar trancada em casa, costurando e fiando e parindo filhos para seu marido. Não que ela não deseje se casar um dia, mas ela quer ter o poder de escolha, o que é muito mal-visto em Darkover. Assim, disfarçada de rapaz, ela foge e segue para Nevarsin. No caminho, depois de um quase estupro, ela encontra a comitiva de Dom Carlo do Lago Azul, sem saber que ele é na verdade o próprio Rei Carolin exilado. Na companhia deles, ela começa a treinar os pássaros-sentinelas, função que será de extrema importância no futuro. Romilly é muito orgulhosa, fato que chega a ser um tanto irritante a certa altura do livro, não escutando a ninguém e achando que está sempre com a razão.

Na comitiva de Carolin, que é justo e descobre seu segredo, mas não conta a ninguém, ela também conhece Orain, com quem tem uma amizade genuína. Orain é honrado e trata Romilly como um pai, sem saber que ela é mulher. Ainda em Nevarsin, ela conhece Caryl no mosteiro. Caryl é um menino de uns 11/12 anos, muito sensível, e que percebe que Romilly é mulher, mas também não entrega seu segredo. Acontece que Caryl é filho de Liondry Hastur, inimigo de Carolin, e por uma casualidade, acaba sendo feito refém dos homens de Carolin. Mas ele é tratado com respeito e nem é preso, pois é de posição elevada. Caryl não tem nada do pai, é afetuoso e também tem laran o suficiente para ajudar Romilly, mas não pode deixar de ser leal ao pai, mesmo não concordando com suas ideias.

Ainda vale a pena destacar Alderic, amigo dos irmãos de Romilly, e que tem alguma atração pela menina (e é até correspondido). E também Jandria, uma Renunciante, prima de Orain, e que acolhe Romilly no abrigo da Irmandade da Espada. Há mais ainda que eu poderia comentar, como Dama Maura, o próprio Liondry Hastur, o pai de Romilly, mas iria ficar até amanhã falando deles.

O livro é cheio de aventuras, algumas perigosas, mas também tem muito das reflexões de Romilly, pois é contado a partir de seu ponto de vista, o que às vezes enche a paciência. Mas é uma leitura gostosa, fluida, e empolgante. Finalmente, se você quiser saber mais sobre Darkover, clique aqui.

Trilha sonora

Aftermath, do Lifehouse, é perfeita,principalmente para o final. Também This is war, do 30 seconds to Mars. Ainda Breath of life (I was looking for a breath of life, a little touch of heavenly light…é tudo o que Romilly quer) e Seven devils (seven devils all around you, seven devils in your house, they were there when I woke up this morning, I´ll be dead before the day is done…é a Romilly atormentada pela doença do limiar), do Florence and the machine.

Se você gostou de A dama do falcão, pode gostar também de:

  • série Darkover – Marion Zimmer Bradley;
  • As Brumas de Avalon – Marion Zimmer Bradley;
  • O incêndio de Tróia – Marion Zimmer Bradley;
  • As Crônicas do Gelo e do Fogo _ George R. R. Martin;
  • O Senhor dos Anéis – J. R. R. Tolkien.

9 comentários:

Carol disse...

Nunca tinha ouvido nessa Autora, mas você conseguiu me ganhar com essa resenha. Fiquei super curiosa pelos livros.
Adorei o seu blog.

Beijos,
Carol e seus livros.

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Carol!

Seja muito bem vinda!
Fico feliz que a resenha te convenceu. Marion era uma autora fantástica, li e reli vários livros dela, uma das minhas favoritas.

Vou visitar o seu blog também :)

Beijos!

Fernanda

Vinícius Costa disse...

Amei o blog! Já virei seguidor!
Venha conhecer o meu também!
Beijos,
Vinícius - Livros & Rabiscos

Marcia Lopes disse...

adorei!!!!
http://brecho-princesa.blogspot.com

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi gente!

Obrigada pelos comentários e sejam muito bem vindos!

Vitor, vou conferir sim! E vou conferir o seu também Márcia!

Beijos!

Fernanda

Philippe CM disse...

Olá!
Não conhecia esse livro, sou muito fã das brumas de Avalon, adoro o jeito que ela escreve, expressando sempre outros pontos de vistas, tem criticas que ela faz a igreja nas Brumas que são muito boas.
Vou ver se compro esse =D
Bjoss

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Philippe!

Eu adoro os livros dela, ela é uma das minhas autoras preferidas. Também gosto muito da crítica feroz que ela faz ao cristianismo, mais precisamente à Igreja, em As brumas de Avalon. Me parte o coração quando os druidas perdem espaço. Se você encotrar, vale a pena comprar, sim, mas faz tempo que eu não vejo em livrarias. Talvez num sebo.

Beijos e seja bem vindo!

Fernanda

Kathleen disse...

Oi Fê,

Tem um meme pra você lá no blog:
http://ogatofeio.blogspot.com.br/2013/03/meme-aos-16.html#more

Bjkss ;*

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

EBA!

Obrigada, Kath! Vou pegar :)

Beijos!