domingo, 12 de junho de 2011

X-men Primeira Classe

 

xmen first class Já disse antes que adoro filmes que vêm de quadrinhos. E isso começou lá na década de 90, quando eu assistia a primeira série animada de X-men, com aqueles uniformes ridículos amarelos e azuis. Assim, claro que logo que saiu o primeiro X-men, eu fui assistir. Adoro todos os filmes da franquia, incluindo aí X-men origens: Wolverine, e, óbvio que não podia deixar de assistir como tudo começou. E, mais uma vez, não me decepcionei com o resultado.

O filme começa retomando uma das melhores cenas de todas, quando o jovem Erik é brutalmente separado da mãe no campo de concentração,  momento em que ele faz a primeira demonstração de seu poder. Sempre achei a cena tensa, e muito bem feita, e aqui ela foi reproduzida quase à exatidão. O que faz a gente gelar mesmo, agora, é descobrir que tinha alguém observando tudo, friamente tomando uma xícara de café ou chá.

E quem está observando tudo é Sebastian Shaw, o homem responsável pela criação daquele que viria a ser Magneto, e também o homem que matou sua mãe na frente do adolescente Erik, alimentado assim todo o ódio e desprezo que Magneto nutre pela humanidade. Não que eu o culpe, afinal acho que também não teria muita fé na humanidade que não só assassinou sua mãe, mas também o fez de cobaia. E este ser com tanto poder é interpretado maravilhosamente por um quase esquecido Kevin Bacon, que volta à cena em grande estilo.

Magneto

Do outro lado estão, claro Magneto, interpretado muitíssimo bem por Michael Fassbender, e um jovem Charles Xavier, que ganha vida através de James McAvoy (o Mr. Tumnus do primeiro Nárnia, e que brilha também em O último rei da Escócia). Ambos estão muito bem no filme e têm uma química boa, o que é crucial para entender a amizade dos dois. Sim., porque mesmo em lados opostos, os dois sempre se respeitam muito e, a meu ver, nunca chegaram a ser realmente inimigos. E, enquanto estamos falando dos dois, apesar de adorar Sir Ian McKellen e Patrick Stewart como os dois mais velhos, tenho que admitir que eles nunca estiveram tão bem na fita. Tem uma hora em que Erik invade uma base russa atrás de Shaw, sozinho. O que foi aquilo, meu Deus? Tudo de bom, assim como Xavier apontando uma arma para Erik, incentivando-o a parar ou desviar a bala. Really sexy.

prof x E falando em Professor Xavier, uma das coisas que eu mais gostei foi descobrir um lado do Professor X bem descontraído, saindo para beber e passando as cantadas mais absurdas nas pobres garotas que cruzam seu caminho. Confesso que se fosse comigo, mesmo com as cantadas mais absurdas, seria difícil resistir. E, mais tarde, já com o que viria a ser o embrião da sua famosa escola, como ele ensina os outros mutantes, inclusive Magneto, a usar seus poderes, de forma descontraída e por vezes até cômicas. A cena em que Banshee tenta voar pela primeira vez é hilária. E antes que eu esqueça, na sua caça por outros mutantes, adivinhem quem o Professor X e Magneto encontram. Uma dica, a cena começa mostrando alguém fumado um charuto. Adivinhou? Um doce pra quem disse Wolverine, que, claro, recusou a proposta com seu charme usual. E sim, quem apareceu foi Hugh Jackman, numa cena impagável.

Voltando ao elenco, este é em geral muito bom. Apesar de só falarem da January Jones como Emma Frost, os outros também merecem destaque, muitas vezes até mais do que ela. É o caso por exemplo de Jennifer Lawrence, que faz Raven/Mystique e Nicholas Hoult (o já ótimo Marcus de Um grande garoto), como Fera. Eles dois têm uma relação delicada e protagonizam uma das cenas mais comoventes do filme.

X-men first class elenco

Ambientado em 1962 e tendo pano de fundo a Guerra Fria, o enredo se utiliza muito bem de um incidente real, a crise dos mísseis, para contar o início de uma relação e uma história que vai durar anos. O filme só peca em um detalhe, que na verdade não bate com algumas coisas nos outros. para quem se lembra, Xavier vai atrás de Jean, juntamente com Erik, já na década de oitenta, e Xavier está andando. Também no final de Wolverine, ele vai buscar Scott (curiosidade: seu irmão Alex Summers  está neste filme, e tem o mesmo poder dele, mas não concentrado somente nos olhos, e sim no corpo inteiro) e os outros também andando. Aqui e revelado como ele ficou paralítico. Mas discrepâncias à parte, X-men First Class é um ótimo filme, não se limitando a ser só mais um filme de super-heróis, e sim sobre as relações humanas e o que o homem é capaz de fazer ao se deparar com o desconhecido, tema recorrente na franquia. E ainda tive como bônus o trailer de Harry Potter e as Relíquias da Morte – parte 2 (já estou com o coração apertadinho!) e Capitão América. E a música dos créditos finais, me surpreendeu por ser do Take That (não que eu não goste deles, pelo contrário), porque está bem longe do estilo deles, até irreconhecível, mesmo na voz de Robbie Williams, que eu AMO. E é ótima. Confira e delicie-se aqui.

E para dar aquele gostinho e vontade de ver, assista o trailer aqui e aqui.

4 comentários:

Nana disse...

Ai estou doida para assistir!!!
James é um fofo adoro ele...
eu sou curiosa cacei na net quem aparece de surpresa no filme HAHAHA
descobri 1 só...
Estou ainda com mais vontade de ver!

uma boa semana pra vc
Nana - Obsession Valley

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Nana!

vai ver sim que você vai gostar. James tá tudo de bom nbesse filme...eu sempre soube que por baixo daquelas pernas de Mr. Tumnus tinha um colíriozinho pra gente:D

Beijos!

Fefa Rodrigues disse...

Ahhh o filme do Volverine é o meu preferido... além de tudo ele é muito lindo!!!

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Fefa, nem me fale...aquela cena dele saindo do tanque enfurecido é tudo de bom...até perco o ar:) Hugh Jackson nasceu para ser Volverine.

Beijos!