domingo, 21 de novembro de 2010

As Duas Torres – versão estendida

 

the two towers Claro que depois de assistir a versão estendida de A Sociedade do Anel, eu estava muito ansiosa para assistir As Duas Torres. Não é nada que eu já não tenha visto, mas, de novo, já fazia tempo e eu não me lembrava de algumas coisas.

A melhor coisa desta versão é a cena em que os hobbits acham comida em Isengard, depois do ataque dos ents. Mais uma cena típica dos hobbits, e extremamente divertida. Em segundo lugar, fica o final da disputa entre Legolas e Gimli para saber quem matou mias orcs, no Abismo de Helm’s Deep. Um resultado surpreendente e uma cena engraçada, com uma amostrinha de que os elfos também podem sentir alguma coisa. Repito: é por isso que Legolas é o único elfo de quem eu gosto.

Esta versão também explica melhor algumas coisas, que, no filme, são importantes, mas que ficaram de fora no corte final. Aqui, dá para saber porque Faramir quer tão desesperadamente levar o Anel para Gondor e seu pai. Vivendo à sombra de seu irmão Boromir, ele tem que se provar constantemente diante de Denetor. Isso não acontece tão explicitamente no livro, onde ela parece até ser imune ao poder do Anel, mas aqui proporciona bons momentos. E temos mais um pouquinho de Boromir (eba!). E mostra também que Faramir está bem a par das intenções de Gollum.

Há também Éomer encontrando seu primo, quase morto depois da emboscada dos orcs. Explica a morte dele, bem como mostra como Rohan estava sofrendo com Isengard. Pena que ficou de fora.

Também acrescenta a vinda das árvores para o Abismo, em auxílio de Aragorn e cia. Isso acontece no livro, e, não sei porque, tinha ficado de fora na versão que foi para o cinema. É uma seqüencia curta, que não tomaria muito tempo.

O entebate também está mais longo, e Barbárvore canta sua canção sobre as entesposas. Dá uma ideia melhor do porque os ents estavam tão reticentes de entrar na guerra e também de sua natureza vagarosa. Ainda sinto falta de Tronquesperto, o ent precipitado (ele leva só um dia para decidir…), mas ainda vale. E também há uma cena divertida nesse núcleo.

Novamente, o tempo passa rápido e nem parece que são quase 4 horas de filme. E, se não disse quando fiz a resenha do livro, prefiro o final do filme, que não deixa a gente na expectativa do que vai acontecer, porque termina um pouco antes do livro.

Para dar um gostinho:

The two towers - extended version

3 comentários:

Deivisson disse...

muito bom, legal o blog gostei, bye

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Muito obrigada Deivisson! Volte sempre! XOXO

Deivisson disse...

com certeza ja está na minha lista... ótimo para quem gosta de ler,
se quiser acessar o meu blog, fico feliz :P www.allbastards.blogspot.com