domingo, 10 de fevereiro de 2013

Dragões de Éter #2 – Corações de Neve – Raphael Draccon

 

Dragões de éter 2Nova Ether é um mundo protegido por poderosos avatares em forma de fadas-amazonas. Um dia, porém, cansadas das falhas dos seres racionais, algumas delas se voltaram contra as antigas raças. E assim nasceu a Era Antiga. Hoje, Arzallum, o Maior dos Reinos, tem um novo rei, e a esperada Era Nova se inicia.
Entretanto, coisas estranhas continuam a acontecer... Uma adolescente desenvolve uma iniciação mística proibida, despertando dons extraordinários que tocam nos dois lados da vida. Dois irmãos descobrem uma ligação de família com antigos laços de magia negra, que lhes são cobrados. Duas antigas sociedades secretas que deveriam estar exterminadas renascem como uma única, extremamente furiosa.
Após duas décadas preso e prestes a completar 40 anos, um ex-prisioneiro reconhecido mundialmente pelas ideias de rebeldia e divisão justa dos bens roubados de ricos entre pobres é libertado, desenterrando velhas feridas, ressentimentos entre monarcas e canções de guerra perigosas. O último príncipe de Arzallum resgata sombrios segredos familiares e enfrenta o torneio de pugilismo mais famoso do mundo, despertando na jornada poderosas forças malignas e benignas além de seu controle e compreensão.
E a tecnologia do Oriente chega de maneira devastadora ao Grande Paço, dando início a um processo que irá unir magia e ciência, modificando todo o conhecimento científico que o Ocidente imaginava possuir.
E o mundo mudará. Mais uma vez.

ATENÇÃO! SPOILERS SE VOCÊ NÃO LEU O PRIMEIRO LIVRO DA TRILOGIA!

Se eu já tinha adorado Dragões de Éter - Caçadores de Bruxas, esse eu amei, amei, amei. Se o primeiro é um livro delicinha, este é delícia plena. A história está ainda mais apaixonante, e evoluiu em relação ao primeiro.

Depois que o Rei Primo Branford morreu num ritual de magia negra, Anísio, agora livre do feitiço que o havia transformado em homem-sapo (eu não mencionei isso na resenha anterior, pra não dar spoiler), é coroado Rei e está determinado a levar adiante, ou melhor, retomar, o plano de seu pai, de caça às bruxas, e para isso, resolve restituir os Cavaleiros da Ordem de Helsing. Anísio volta determinado a se vingar das bruxas que o aprisionaram. Pra mim, ele está mais sombrio, e não sei bem porquê, mas não confio muito nele, acho que há algo errado com ele, e não sei explicar o quê. Mas não posso negar que ele é inteligente, e perspicaz, não´dá ponto sem nó. E ele até tem razão para agir como age, já que está carregando o fardo de preencher o lugar deixado por seu pai, que, convenhamos, é não é coisa fácil. Ele precisa estar à altura do Maior de Todos os Reis, mas não sabe se conseguirá. Ainda assim, tenho a impressão que há mais nele do que é mostrado. Só mesmo esperando o terceiro.

Por outro lado, Axel está mais maduro. Ele, na qualidade de campeão de Arzallum tem que representar seu povo no torneio de pugilismo mais competitivo e prestigiado de Nova Ether: o Punho de Ferro. Esse torneio, além de tudo que falei, também é potencialmente mortal, e seu resultado final pode alterar a história. Axel está bem focado no torneio, e perdeu um pouco de seu tom sarcástico. Na verdade, como eu disse, amadureceu. Sabe que agora que é Primeiro Príncipe tem responsabilidades das quais ele não pode fugir como antes. Responsabilidades que podem afetar diretamente sua vida pessoal e seu relacionamento com Maria Hanson, que por sinal está mais firme.

Ou será que está mesmo? É o que Maria, agora professora da Escola do Real Saber de Arzallum se pergunta, enquanto tenta lidar com o peso que é namorar uma celebridade como Axel, e conflitos familiares. Não se engane, ela é até bem segura, mas as circunstâncias levantam questionamentos sobre sua vida e o papel de Axel nela. Sim, os dois se amam muito, mas será que isso é suficiente? Além, é claro, de ver seu namorado esmurrado diariamente no ringue. Mas ela segura bem.

Já João, agora um adolescente de catorze para quinze anos, continua enrolado com Ariane Narin, mas ao mesmo tempo que ainda tem aquela inocência de menino, ele é obrigado a amadurecer rápido. Isso porque ele presencia seu pai em uma atividade que ele nunca imaginaria possível, e ali ele vê seu herói caindo por terra. E aí, claro, a revolta adolescente bate forte, e ele briga com todo mundo. Por outro lado, os hormônios em ebulição também entram em ação, e seu namorinho com Ariane, que é muito fofo, aliás, tem rumos inesperados e bem engraçados. Mas João tem um segredo, que só será revelado no final, e que pode mudar seu destino. De todos os personagens, ele é o que mais muda.

Sua cara-metade Ariane Narin continua firme nos estudos para ser bruxa (do bem). Também está um pouco insegura quanto a João, coisa normal de uma menina de 13 anos, mas também mostra muita maturidade e continua língua-solta, falando o que dá na telha.

Lembra que eu falei para ficar de olho em Liriel Gabbiani e Snail Galford? Bom, neste, seu papel está maior. Snail começa a treinar Liriel, para expandir seus poderes, e tenho que dizer que seu método é bem tough love, e tem horas que dá um pouco de medo. Mas tem motivo. Snail agora é o líder de um bando de adolescentes de rua, que treina também, para a Revolução. Mas não é bem ele que quer fazer a Revolução, ele só treina esse verdadeiro exército das ruas para outra pessoa.

E essa pessoa é ninguém menos que Robert de Locksley, que você talvez conheça como Robin Hood (que eu imaginava sempre como Russel Crowe). No começo ele está preso, mas ao ser coroado, o Rei Anísio tem 3 desejos que devem ser realizados, e um desses desejos foi a soltura dele. Como eu disse lá em cima, Anísio tem um objetivo, e pensa muito à frente do presente. Robin é um idealista apaixonado. E é um tanto turrão também, tenho que admitir. E claro que junto com ele aparecem na história John Pequeno, Will Scarlet (que também vai puxar amizade com Axel, não por acaso), Lady Marion e Frei Tuck.

E claro que há os vilões. Aqui representados pelo Imperador Ferrabrás, o governante de Minotauros. Ele parece um tirano, e com sede de poder, mas não dá para saber muito mais dele, porque ele na verdade não aparece muito. Só que ele é a maior ameaça a Arzallum e Stallia, o reino vizinho, e com quem Arazallum mantém uma aliança, já que a princesa Branca Coração-de-Neve é noiva de Anísio. E ela também tem uma participação maior neste. E posso adiantar que este foi a preparação do que está por vir no terceiro. E é bom também ficar de olho em Rumpelstichen, um lorde-duende que vem do Oriente trazendo novas tecnologias que podem mais uma vez mudar o mundo. E no lutador que ele traz, Ruggiero. Não vou falar mais para não dar spoiler.

De modo geral, o livro mostra uma evolução na escrita do autor, o ritmo é mais rápido, há mais ação e romance. Como eu disse antes, a história está mais apaixonante e envolvente. E neste a gente tema grande revelação de que os personagens realmente vivem dentro do livro, como acontece com A história sem fim e a Trilogia de Tinta. Esqueci de mencionar no anterior o narrador, um contador de histórias que realmente conversa com a gente, como um velho amigo. Há também as várias referências pop, que não vou mencionar para não estragar a delícia que é descobri-las. E, antes de ir embora, só uma coisinha, que o Vitor, o Guardião da Muralha, me lembrou: galera viciada nas Crônicas do Gelo e do Fogo, agradeçam a Raphael Draccon, porque foi graças a ele que essa série maravilhosa chegou por aqui. E leiam esse livro apaixonante.

Trilha sonora

Pra começar, We wil rock you (que assistiu Coração de Cavaleiro vai saber porque, mas fica evidente no livro também) e Under pressure, do Queen, This is war, do 30 seconds to Mars, Ordinary, do Train, We are, da Ana Johnsson, Send the pain below, do Chevelle (principalmente por causa de uma coisa no final), Save me, do Remy Zero, Nerve damage, do meu amado Lifehouse, Could it be any harder, do The Calling (nota pessoal: acho muito surreal que Alex Band tem esse vozeirão e é um varapau assim, não corresponde) e finalmente Lucky, do Jason Mraz com a Colbie Caillat.

Se você gostou de Dragões de Éter – Corações de Neve,pode gostar também de:

  • A história sem fim – Michael Ende;
  • Trilogia de Tinta – Cornelia Funke;
  • O Senhor dos Anéis – J. R. R. Tolkien;
  • coleção Harry Potter – J. K. Rowling;
  • Percy Jackson e os Olimpianos – Rick Riordan;
  • coleção Os Heróis do Olimpo – Rick Riordan;
  • As Crônicas dos Kane – Rick Riordan;
  • Ciclo A Herança – Christopher Paolini;
  • A Crônica do Matador de Rei – Patrick Rothfuss;
  • As Brumas de Avalon – Marion Zimmer Bradley;
  • As Crônicas de Artur – Bernard Cornwell;
  • As Crônicas do Gelo e do Fogo _ George R. R. Martin;
  • As Crônicas de Nárnia – C. S. Lewis.

6 comentários:

Carissa Vieira disse...

Maria agora é professora? Que legal!
Eu li o primeiro ano passado e amei. Agora quero ler o segundo, mas sei que vai demorar um pouco.

Beijos,

Carissa

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Carissa!

O segundo é ainda melhor que o primeiro. Estou no terceiro agora, naquele estágio de querer logo pra ver o que acontece, mas ao mesmo tempo enrolando pra não acabar ;)

Beijos!

Nadia V. disse...

Oi, Fê.
Não li pra não pegar spoiler, mas olhei as indicações de livros e tem vários que já estão na minha lista! Louca pra ler O Ciclo A Herança, terminar Mundo de Tinta E ler os do Rick Riordan! Depois que ler todos esses eu dou uma chance para Dragões de Éter. ;)
Beijos.

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Nádia!

Essa trilogia estava na minha estante já faz tempo. Tô terminando o último, e tem hora que parece que em vez de ler esse, tô lendo Bernard Cornwell :) (parede de escudos!)

Beijos!

Dia de Leitor disse...

Oi! Adorei o post, adoro o Draccon e seus livros, e adorei o blog.
A sua lista, ao fim, poderia incluir também a série "As Fronteiras do Universo". Um abraço,
Kaio
diadeleitor.blogspot.com

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Kaio!

Obrigada! Eu não incluí na lista As Fronteiras do Universo porque na verdade não acho que ele tenha muito a ver, fora o fato de ser juvenil. Mas reli a trilogia recentemente, e postei as resenhas :)

Beijos!

Fernanda