quinta-feira, 1 de maio de 2014

O Cavaleiro dos Sete Reinos - George R. R. Martin

Duzentos anos após a Conquista, a dinastia Targaryen vive seu auge. Os Sete Reinos de Westeros atravessam um tempo de relativa paz, nos últimos anos do reinado do Bom Rei Daeron. É neste cenário que Dunk, um menino pobre da Baixada das Pulgas , tem uma chance única: deixar a vida miserável em Porto Real para se tornar escudeiro de um cavaleiro andante. Quando adulto, o cavaleiro morre e Dunk decide tomar seu lugar e fazer fama no torneio de Campina de Vaufreixo. É quando conhece Egg, um menino de dez anos, cabeça totalmente raspada, que é muito mais do que aparenta ser. Dunk aceita Egg como seu escudeiro e, juntos, viajam por Westeros em busca de trabalho e aventuras. Uma grande amizade nasce entre eles – uma amizade pela vida toda, mesmo quando, anos mais tarde, os dois personagens assumem papéis centrais na estrutura de poder dos Sete Reinos. As aventuras de Dunk e Egg trazem para os fãs de As Crônicas de Gelo e Fogo a oportunidade única de vivenciar outro momento da história de Westeros, de conhecer e analisar fatos que teriam desdobramentos noventa anos depois, na guerra dos tronos.

ATENÇÃO! SPOILERS DE ASOIAF! 

Como fã ardorosa de ASOIAF, esse livro era leitura obrigatória para mim. Esse livro é uma compilação de 3 contos sobre Sor Duncan, o Alto, e seu fiel escudeiro Egg, apelido de Aegon Targaryen, e se passa 90 anos antes dos eventos narrados na Guerra dos Tronos, mas ainda tem efeitos nela. 

O primeiro conto, O Cavaleiro Andante, conta como Dunk conhece Egg. Após servir Sor Arlan de Centarbor (nota: estranhei muito os nomes em português. Só li AGoT em português, mas faz tanto tempo, que acabei esquecendo. Me acostumei com os nomes de lugares e personagens em inglês) durante muitos nos, quando o velhote morre, Dunk decide tomar seu lugar como cavaleiro andante. Para isso, ele parte em direção ao Torneio de Vaufreixo, onde encontra Egg. Só que Dunk, nascido na Baixada das Pulgas, precisa vencer uma justa para que possa ser nomeado. Acontece que Dunk, com quase 2 metros de altura, é um tanto desengonçado nas listas, e acaba entrando em confusão. No fim, Dunk acaba se tornando cavaleiro, e adotando Egg como seu escudeiro. 

O segundo conto, A Espada Juramentada, se passa cerca de um ano depois. Dunk está a serviço de Sor Eustace de Pousoveloz, na Campina. Quando a água de Pousoveloz seca, Dunk descobre que quem está desviando o leito do riacho é a Viúva Vermelha, uma antiga inimiga de Sor Eustace, Dunk vai até ela para investigar, e acaba descobrindo alguns segredos perigosos de seu senhor. 

O último conto, O Cavaleiro Misterioso é o mais longo, e Dunk se vê mais uma vez em meio a uma disputa de poder, e descobre que há uma conspiração para matá-lo. E para piorar as coisas, Egg ainda some no meio da confusão.

Dunk ainda é um cavaleiro jovem, de não mais de 20 anos, e bem atrapalhado ainda. Porém, sua fama já começa a ser difundida pelso Sete Reinos. Tem um senso de honra tão grande quanto Ned (só espero que seu fim seja melhor), e tem também um senso de humor fantástico, apesar de parecer bem rabugento. Ele adora se auto-depreciar, e eu acho isso muito engraçado. E mesmo desajeitado, já dá para entender porque ele será o maior Cavaleiro que os Sete Reinos já tiveram (quatro páginas dedicadas a ele no livro da Guarda Real!). 

Egg, por outro lado, é um menino de 10/11 anos, vivaz e com um língua afiada. É curioso e teimoso ao extremo (eu posso me identificar), mas ele é bastante maduro para a idade. Algumas das coisas que ele fala são dignas de maesters, dos mais sábios (acho que a sabedoria do irmão Aemon acabou se espalhando para ele).

Mas o que é mais legal neste livro é saber mais da história de Westeros. E, claro, isso acaba abrindo espaço para especulações e teorias :). Aqui eu abro espaço para teorizar, então, spoilers a partir daqui! No caso, o que mais chama atenção é o segundo conto. E por causa de Brynden Rivers, o Corvo de Sangue, Mão do rei. Quem leu sabe que esse Brynden Rivers também responde por Corvo de Três Olhos. Na verdade, o que esse livro fez foi só reforçar que ele não tem boas intenções quanto a Bran. O que exatamente ele quer eu não sei ainda, talvez se apoderar do corpo de Bran, mas que o cara não está ajudando Bran só pra ser bonzinho, isso não mesmo. 


Na época desse livro ele era Mão, mas na prática era ele quem realmente governava: "Ele nos governa agora, não se engane. O Rei Aerys é um joguete dele. Não se surpreenda em saber que Corvo de Sangue enfeitiçou Sua Graça para dobrá-loàs suas vontades." (p. 192). Hummmm...Só por esse pequena passagem já dá pra tirar algo. Um: ele é sedento de poder. E se já teve tanto poder assim, não iria simplesmente abrir mão desse poder. Claro que o cara tem algum tipo de ressentimento por causa disso. E ele teve tempo mais do que suficiente para planejar sua vingança, ou uma volta a esse poder. Dois: ele é um feiticeiro, isso é fato. E se pode estar enfeitiçando Aerys para se manter no poder, quem garante que ele não faça o mesmo com Bran? Particularmente, eu acho que Bran é mais poderoso que Brynden (e isso é dizer algo), e que eventualmente vai ultrapassar Brynden, e se rebelar. O que também assusta porque ele é conhecido neste livro por mandar executar sem piedade os traidores: "Era um homem santo juramentado aos Sete, mesmo que tenha pregado traição." (p. 274), sobre um septão que foi condenado à morte. Só que como eu disse, acho que Bran vai dar um pé na bunda de Brynden mais cedo ou mais tarde.

Também, um caráter assim não é dos mais legais, certo? Lembrei que Melisandre vive falando do Outro, que se opõe ao Senhor da Luz. Bom, na minha cabeça, faz muito sentido que Brynden, um adepto sabido de magia negra, seja um servo desse Outro. Já vi em algum lugar, não lembro onde, que o caminho de Bran é escuro, e pelo andar das coisas, caminha cada vez mais para a escuridão. E, depois de ver Oathkeeper (resenha sai em breve), pensei que ele pode muito bem estar de conchavo com o rei da Noite, esse com certeza um servo do Outro. Como eu disse, é só especulação, e acredito que Bran irá descobrir as verdadeiras intenções de Brynden e se libertar. Gente, o Santa From Hell não investiu páginas e mais páginas no personagem para deixá-lo forever alone ´reso numa árvore, não é?

Outra coisa que me chamou atenção: "O último dragão deixou uma ninhada de cinco, e existem mais em Pedra do Dragão, mais antigos, de antes da Dança." (p. 304). Bom, Danaerys tem 3 dragões. E onde estarão os outros? Duvido muito que todos tenham sido destruídos. E chama atenção para o local: Dragonstone (que estranho foi escrever o nome em português!). O que impede de ainda haverem mais ovos ali, escondidos? Não acredito que Stannis tenha explorado a ilha toda e conheça todos os cantinhos dela. E antes que os mais exaltados comecem a me criticar, OK, os ovos podem estar petrificados, mas não vamos esquecer que Dany chocando os dragões foi o estopim para a magia começar a retornar ao mundo. Assim, outros dragões podem surgir, mesmo esta sendo uma possibilidade muito pequena. 

Voltando ao livro, confesso que fiquei com vontade de mais aventuras de Dunk e Egg. Adorei os personagens, especialmente Egg, e espero ver Aemon jovem, antes de ser maester, mesmo porque o próximo passo de Dunk é ir para Winterfell, e eu gostaria muito de ver o Stark da época, e comprovar se Dunk foi realmente o cavaleiro que roubou o coração da Old Nan. O livro também fala bastante da revolta de Blackfyre, e dá para entender melhor essa parte, apesar de eu precisar ler de novo. A leitura é mais leve que ASOIAF e dá para ler rápido. E é bem bacana ver que muitas coisas que a gente vê em ASOIAF já vem se delineando 90 anos antes. Também me surpreendi com a aparição de Lorde Frey, com um pequeno que fiquei pensando se não é Walder Frey (DIE, FREY, DIE!), e ri vendo a descrição dele como um moleque ranhento HEHEHEHEHEHE! Recomendo a leitura.

Trilha sonora

Como Sor Duncan é heroi, mas sangra e sofre como todo mundo, Superman (it´s not easy), do Five for Fighting é perfeita. E também Boulevard of Broken Dreams, do Green Day, ainda que Sor Duncan não ande sozinho :)

Se você gostou de O Cavaleiro dos Sete Reinos, pode gostar também de:

  • As Crônicas do Gelo e do Fogo - George R. R. Martin;
  • A Morte da Luz - George R. R. Martin;
  • As Crônicas de Artur - Bernard Cornwell;
  • As Crônicas Saxônicas - Bernard Cornwell;
  • A Busca do Graal - Bernard Cornwell;
  • As Brumas de Avalon - Marion Zimmer Bradley;
  • A Crônica do Matador de Rei - Patrick Rothfuss.


2 comentários:

Amanda Stefany disse...

Eu amei esse livro! e gostei muito
dos post...

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Obrigada, Amanda!

Beijo!