sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Dewey

 

Dewey A rotina da pacata cidade de Spencer, Iowa, Estados Unidos, se transforma após Dewey, um gato, ser encontrado na Biblioteca Pública. A diretora da Biblioteca, que achou o gatinho na caixa de devolução, resolve contar a história e lança o livro, Dewey, um gato entre livros. O livro escrito por Vicki Myron, com colaboração de Bret Witter é a história real de um gato que fez da biblioteca - e da cidade de Spencer- sua casa e de seus habitantes, os melhores amigos.

Logo que vi a capa desse livro eu sabia que eu tinha que ler. Ele junta duas das minhas paixões: gatos e livros. E, convenhamos, um gato combina muito bem com o ambiente de uma biblioteca. Mas para falar a verdade, me decepcionei um bocado com o livro.

Quando alguém compra um livro com um gato na capa espera o quê? Ler sobre o gato, certo? Mas esse deixa um pouco a desejar nesse quesito. Não que o gato não faça parte de boa parte do livro, mas a autora conta mais a história da família (inclusive de sua infância) e da cidade do que de Dewey. Hello! Who cares? Eu queria mesmo saber do gato!

E a história dele já começa emocionante. Resgatado numa manhã fria e com neve. Dewey quase morre antes mesmo de a história começar. Já chorei aí. Fiquei imaginando o coitadinho naquela caixa gelada! E me revoltei também. Como é que alguém tem coragem de fazer isso com um bichino inocente? Isso me lembra uma história que aconteceu comigo: como vocês devem ter lido, eu trabalhava como veterinária, e tinha um petshop. Bem, um belo dia (que na verdade não era nada bonito) deixaram uma ninhada de cachorrinhos na minha porta. Fazia um frio de rachar (não, não estava nevando. Ainda bem que em São Paulo não neva!). A “sorte” é que tinha uma inquilina que morava numa kitchenette nos fundos da loja. Quando ela saiu para trabalhar, mais ou menos 6 da manhã, ela viu, e tirou a própria blusa para aquecer os coitadinhos. Esqueci de dizer: eram recém-nascidos, nem tinham aberto os olhos ainda. Ah, e a “alma caridosa”, pensando que estava fazendo uma boa ação, deixou uma fatia de pão de forma molhada com leite para eles não passarem fome (o que na verdade, só fez com que os pobrezinhos tivessem hipotermia). Oh estrupício! Eles ainda estavam sugando, não conseguiam comer! Infelizmente, não pude salvar todos, todos morreram. Eram seis. Filhotes assim pequenos precisam da mãe para tudo (mamar, se aquecer, etc. É muito difícil salvar filhotinhos tão pequenos). E, me desculpem o desabafo, mas que isso sirva de alerta: CASTRE SEU ANIMALZINHO! E se não tiver paciência, nem tenha. Não é todo mundo que merece (é isso mesmo, merece) ter animal de estimação.

Anyway, de volta ao livro. A história é meio parada, e, como eu disse, gira mais em torna da cidade e da vida da autora que de Dewey propriamente. E, confesso que em certo momento, eu quis estrangular a mulher. Quem ler, vai entender porque. E, quanto à história dela, não que não seja interessante (e, aliás, que família mais zicada a dela), mas para mim não faria a mínima diferença saber disso. E, gatos até podem dominar o mundo, mas é forçar demais a barra dizer que o gato salvou a cidade da falência, por mais que donos sintam que seus pets são especiais.

Chorei de novo o final (já dá pra imaginar o que acontece, né?). E o curioso é que meu cachorro estava do meu lado, na cama, e percebendo que eu estava chorando, levantou (ele estava dormindo), e começou a me lamber, todo preocupado. Animais são assim: percebem que há algo de errado.

De qualquer forma, para quem gosta de gatos, pode interessar. Mas se você pensa que se trata da versão felina de Marley & Eu, está muito enganado.

Trilha sonora

Just for fun:

Nós gatos já nascemos pobres
Porém, já nascemos livres
Senhor, senhora, senhoria
Felinos
Não reconhecerás!

Se você gostou de Dewey, pode gostar também de:

  • Marley & Eu – John Grogan
  • 100 gatos que mudaram a história - Sam Stall
  • qualquer outro livro sobre gatos

Um comentário:

miGuel pesTana disse...

Este livro é maravilhoso. Mudou a minha opiniao sobre os gatos.

http://silenciosquefalam.blogspot.com/2010/12/vicky-myron-as-nove-vidas-de-dewey.html